Como evitar que sua declaração IR2017 caia na malha fina do Leão

Está quase terminando o prazo para acertar suas contas com o Fisco. Último dia é 28 de abril que também é o vencimento da primeira cota do DARF caso opte pelo parcelamento.

Todo o cuidado é pouco no preenchimento da declaração, e se você não está familiarizado com o programa, peça ajuda a um contador, que é o profissional mais qualificado para fazer as declarações mais complicadas.

Veja alguns motivos comuns que levam o contribuinte a cair na malha fina:

(1) Omissão de renda do dependente: Quando o titular inclui dependentes em sua declaração, deve trazer todas as rendas e demais informações destes dependentes.

(2) Omissão de renda de diferentes fontes pagadoras: O declarante deve informar todas as rendas quando possui mais de uma fonte pagadora, mesmo que cada uma delas seja individualmente isenta. Neste caso, o programa irá somar todas as rendas que poderá fazer com que o contribuinte passe a ter que pagar imposto.

(3) Erro na digitação de valores: Os valores informados na declaração devem ser digitados corretamente conforme estão nos informes de rendimentos recebidos pelo contribuinte. Não arredonde ou chute os valores, pois a Receita irá cruzar suas informações.

(4) Omissão do recebimento de pensão alimentícia: Quem recebe pensão alimentícia deve informar os valores recebidos caso seja obrigado ao envio da declaração. A Receita cruza as informações com a declaração de quem pagou a pensão que deve informar o CPF do beneficiário.

(5) Omissão no recebimento de aluguéis: As imobiliárias são obrigadas a informar à Receita os valores recebidos de aluguel pelos seus clientes e proprietário dos imóveis. Assim, a Receita irá cruzar suas informações com as informadas pelas imobiliárias.

(6) Inclusão de mesmo dependente em mais de uma declaração de IR: Um CPF só pode constar como dependente em uma única declaração. Nos casos de separação conjugal, os filhos poderão constar nas declarações de ambos os pais somente no ano em que ocorreu a separação.

(7) Doações com incentivo fiscal: As doações a projetos sociais só geram benefícios fiscais caso a instituição beneficiária esteja cadastrada pelo Governo. Antes de declarar a doação, veja com a instituição se ela possui este cadastro.

(8) Gastos com saúde: Gastos com médicos e hospitais pagos por fora do plano de saúde, poderão despertar a curiosidade do Fisco que intimará o contribuinte para prestar esclarecimentos. Neste caso, o contribuinte deverá apresentar os comprovantes de pagamento com as formalidades exigidas pela Receita. Deve constar nos recibos o nome do pagador e do beneficiário, bem como a descrição detalhada do serviço. Se o fiscal entender que houve erro ou fraude, poderá glosar os documentos e autuar o contribuinte que deverá pagar a diferença do imposto ou devolver a parcela que foi restituída.

Caso já tenha enviado sua declaração e ela apresenta alguns desses problemas, você poderá enviar uma declaração retificado a qualquer momento.

 

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *