Pesquisadores querem combater dengue com bactéria

Vale a pena compreender uma das formas pelas quais a Biotecnologia pode ser usada em benefício de todos.  Fiquem apertas, pois a dengue é coisa muito séria e está entre nós.

Duas novas pesquisas publicada nesta quarta-feira no periódico científico Nature mostraram a eficácia de combater a dengue usando uma cepa da bactéria do gênero Wolbachia.

Pesquisadores australianos, juntamente com o brasileiro Luciano Moreira, do Centro de Pesquisa René Rachou, da Fiocruz em Minas Gerais, anunciaram que utilizaram uma cepa da bactéria que impede que o Aedes aegypti desenvolva o vírus da dengue. “A Wolbachia bloqueia completamente a habilidade do vírus da dengue de se desenvolver dentro do mosquito”, afirmou Scott O’Neill, da Universidade de Monash, na Austrália, principal autor de um dos artigos, em conversa com jornalistas de todo o mundo.

No outro texto, que também teve a participação de O’Neill, os pesquisadores primeiramente liberaram o Aedes com a Wolbachia em ambientes fechados para verificar que ele podia ser transmitido de uma geração para outra. Com o sucesso da experiência, o teste foi feito então na natureza. “O resultado foi que em poucas gerações todos os descendentes tinham a Wolbachia”, explicou Scott Ritchie, da Universidade James Cook, também na Austrália.

A capacidade da Wolbachia se espalhar entre uma população de Aedes na natureza está no fato de que quando as fêmeas não infectadas pela Wolbachia cruzam com machos infectados, os ovos não vingam. Já no caso das fêmeas que tem a Wolbachia ao cruzar com machos (infectados ou não) transmitem a bactéria aos ovos, gerando descendentes que carregam a Wolbachia, tornando os descendentes com a bactéria rapidamente onipresentes na população.

Atualmente a dengue infecta de 50 a 100 milhões de pessoas todos os anos em mais de 100 países, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). O trabalho cria a possibilidade de se controlar a doença a um custo mais baixo. Hoje ela é feita com base em inseticidas, uma solução que já não é mais completamente eficaz já que alguns Aedes estão ficando resistentes a eles.

O próximo passo da pesquisa, segundo os pesquisadores, será monitorar a evolução das novas gerações de mosquitos com a bactéria soltos na Austrália e fazer novos testes de campo na Tailândia, Vietnã, Indonésia e Brasil. (Fonte: Alessandro Greco/ Portal iG

Sobre neveslaera

CURRICULUM VITAE 1. Titular – Neves Terriani Laera , Engenheiro Agrônomo – Fitotecnista, 7. Experiência Profissional – - De 1976 a 1979 – Pesquisa Científica em biologia dos solos – CNPq/EMBRAPA AGROBIOLOGIA - De 1979 a 1981 – Professor da UFRRJ-km 47 – Campo Experimental e de Produção - De 1981 a 1982 – Engenheiro Agrônomo da RURALTEC LTDA – Desenvolvimento de atividades relacionadas com a elaboração e implantação de projetos agropecuários de grande porte nos Estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais - De 1982 a 1996 – Assessor Técnico do Banco do Brasil. Acompanhamento técnico direto de projetos conduzidos sob financiamentos de grande, médio e pequeno portes em atividades do setor agropecuário, tais como cafeicultura, pecuária de corte e leite, fruticultura, olericultura, caprinocultura, ovinocultura, carcinocultura, apicultura, culturas de cereais, produção de mudas ornamentais, avicultura, eqüinocultura, piscicultura. Atuação nos Estados do Rio Grande do Norte (1982 ), Minas Gerais ( 1983 a 1986 ), São Paulo ( 1986 a 1988 ) e Rio de Janeiro ( 1988 a 1996 ) - De 1996 até atualmente – Fundador e sócio-diretor da Terriani Laera Consultoria Empresarial SS Ltda ( www.agroterriani.cjb.net ), empresa voltada para serviços de consultoria plena em projetos agropecuários, de reflorestamento, paisagismo, arborização urbana, produção de plantas ornamentais, aqüicultura, licenciamento ambiental e estudos de viabilidade técnica e econômica em empreendimentos afins 6. Cursos de Pós-graduação no Brasil – - Apicultura Integrada – IASC-1983 – 600 horas - Armazenamento de Grãos – UFV-1984 – 500 horas - Tecnologias de Sementes – UFRRS-1985 – 500 horas - Agricultura Tropical – UFRPe – 1986 – 500 horas - Irrigação e Drenagem – USP-1987 – 400 horas 7. Cursos de Pós-graduação no Exterior – - Tecnologias de Pesca e Comercialização Internacional de Pescados-1988 – Itália – Sete meses de duração 8. Idiomas – Inglês – Fluente Espanhol – Fluente Italiano – Fluente 9. Principais Características Profissionais – Visão ampla dos aspectos éticos, técnicos, econômicos e sociais em assuntos inerentes à profissão, aguçada capacidade de análise técnica apurada durante trinta e dois anos de exercício profissional no segmento agronômico, elevada capacidade gerencial e de comando, integridade, ética e alta disposição para o trabalho. 10. Assessoria Imobiliária – A partir de 1999, atuo também no segmento imobiliário, com o uso de atribuições inerentes ao título de Corretor de Imóveis, sendo que sou inscrito no CRECI-RJ. Nesse segmento, minha forma de atuar leva em consideração sobretudo a busca de soluções éticas, ambientalmente corretas, criativas e pioneiras na busca de fomento a novos e grandes empreendimentos. Possuo capacidade de articulação junto a grandes empresas, além de extensa rede de contatos pessoais.
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>